sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Adyashanti - O que acontece depois do despertar


E então, eu sempre quis oferecer um conjunto de ensinamentos consentâneos, que tem a ver com o que acontece depois do despertar. E assim, estou muito contente com a oportunidade de fazê-lo.

Agora, algumas pessoas podem pensar, 'Eu não tive nenhum desses vislumbres. Não penso ter realmente despertado'. Outros podem nem sequer ter certeza se o que experimentaram é despertar ou não, mas seja qual for o caso, podes ter certeza que, o que acontece depois desse vislumbre, - seja um vislumbre ou permanecer nesse estado de despertar continuamente - o processo que se desenrola depois do despertar, também é muito significativo em relação ao que acontece antes do despertar, porque basicamente o processo não é diferente. É só que depois de despertar o processo acontece de uma perspetiva diferente, de um ponto de vista diferente. Depois de despertar o processo da espiritualidade acontece do ponto de vista do pássaro em vez do ponto de vista do solo.

Então eu penso que, quer tenhas despertado, ou penses ter despertado ou não, não importa assim tanto.
Dito isto, estes ensinamentos, aquilo que quero disponibilizar, é dirigido de fato àqueles que tiveram algum despertar, quer seja permanecer ou não permanecer, porque há muito pouca informação sobre o que acontece depois do despertar, muito pouca. A informação que está disponível sobre o que acontece depois do despertar, normalmente não é muito publica, é muitíssimo privada, o que significa que a maioria das vezes é falada apenas entre professor e aluno. E muito raramente é falada publicamente.

O problema disto é que muitas pessoas que têm estes momentos agora, têm vislumbres ou na realidade vivem a partir de um lugar muito mais desperto e no entanto não há nenhum ensinamento consentâneo sobre isso. Há muito poucas pessoas falando sobre isso de forma que faça sentido para eles, que falem a partir da sua perspetiva, ou que pareça especialmente congruente.

Assim, um dos meus objetivos é disponibilizar uma série de ensinamentos que são uma espécie de boas vindas a esse novo mundo, a essa percepção nova de unidade e começar a fazer face ao que pode acontecer a partir desse lugar de unidade.

O perigo disto é óbvio, ou para alguns pode ser óbvio. O perigo do que acontece depois do despertar é que os ensinamentos são tomados em um nível demasiado conceptual. Digo muitas vezes aos meus alunos que os meus ensinamentos não se destinam a ser afirmações coerentes de verdade. Eu não ensino teologia ou filosofia. Eu não ensino budismo ou qualquer espécie de 'ismo'. Esse não é absolutamente o meu interesse. Os meus ensinamentos são na realidade estratégias. Estratégias para despertar, ou estratégias para ajudar alguém sobre o que acontece depois de despertar. Assim estes ensinamentos não são ensinamentos destinados a ser compreendidos simplesmente ao nível mental ou ao nível conceptual e aplicados de cima a baixo por assim dizer. Estes ensinamentos são mais sugestões, são estratégias. Em muitos aspetos da vida depois do despertar, uma das coisas mais importantes que se desenrola depois do despertar é ter alguma orientação em relação a onde estás, porque ao contrário ao que muitos de nós esperava, que era pensar que quando acontecesse o despertar, a acontecer alguma vez, assim que acontecesse o despertar, tudo estaria claro, tudo. Na realidade, o que vais descobrir é que nada é claro. A única coisa que fica clara com o despertar verdadeiro e autêntico é a Realidade. Quem e o que nós somos fica claro, não há mais dúvida sobre isso, não há mais questão sobre isso. É ponto assente. 

Em um sentido muito real, uma das marcas do verdadeiro despertar é o fim da busca. Não sentes mais a confiança e o impulso e a atração da busca. O buscador desaparece literalmente como a realidade virtual da forma que era. O buscador e a busca concluíram sua tarefa em muitos sentidos. Foi proporcionado o dinamismo necessário para ajudar a repelir a Consciência ou o Espírito da sua identificação com o estado de sonho e ajudá-la a regressar ao seu estado natural de ser.

Mas assim que acontece este despertar, uma das muitas coisas curiosas, para muitas pessoas, é que sua busca desaparece. Agora, se é do tipo permanente de despertar, do despertar que realmente não desaparece, então a busca e o buscador dissolvem-se totalmente. Se o despertar é de índole impermanente, que mais uma vez significa quase que a abertura da Realidade acontece por um momento, ou um dia, ou uma semana apenas para fechar-se um pouco novamente, nestes casos, o buscador e a busca podem não ter-se dissolvido totalmente, mas estão em processo de se dissolverem. E isto por si só é uma grande transformação na vida de alguém. Porque as pessoas na espiritualidade, muitas vezes, toda a sua identidade foi envolta na busca, sua vida foi muito determinada pela busca espiritual, pelo anseio de deus, ou unidade, ou iluminação, ou despertar. E de repente acontece o despertar e a pessoa que pensaram ser, o buscador, a busca e toda a estrutura egóica, o ego espiritual que é nisso consolidado, desaparece de repente. É visto naquilo que era, eventualmente útil, mas agora visto muito insignificante e inútil, e desaparece.

Em muitos sentidos, assim que acontece o despertar, uma vez que acabou a lua de mel do despertar - e a lua de mel do despertar é o 'ah-ah' inicial, o êxtase inicial da Realização, a alegria do próprio despertar, o alívio de não mais ser sobrecarregado pelas percepções falsas das coisas, por este fardo imenso de separatividade e todo o condicionamento com que nos identificámos antes e pensámos ser, permitindo que nos definisse - e neste espreitar além do véu da ilusão, tudo isso cessa. Talvez permanentemente, talvez momentaneamente. Mas num caso ou noutro, é uma espécie de lua de mel, um grande 'ah-ah', uma libertação incrível, um alívio incrível.

Essa libertação e esse alívio podem ser eles mesmos momentâneos. A libertação e o alívio podem durar semanas ou meses e em alguns casos pode durar alguns anos, onde estás literalmente como que respaldado no êxtase e na alegria e libertação do teu próprio ser, daquilo que és realmente. E a isso é o que eu chamo o período de lua de mel do despertar.

1 comentário:

Anónimo disse...

Muito obrigado mesmo por essa tradução, Margarida!